domingo, 3 de junho de 2012

Sexo x literatura

O ambiente de um ponto de táxi é ideal para quem gosta de boas histórias. Basta o serviço diminuir, os taxistas começam a parar em suas bases e a conversa rola solta. Dia desses, estávamos em meio a uma dessas reuniões animadas, quando, para completar o cenário, chegou o Bob, um guardador de carros das redondezas.

Em matéria de boas histórias, o flanelinha Bob não fica para trás. Principalmente quando narra sua luta contra um rato enorme com o qual divide sua residência. Mesmo já tendo corrido atrás do rato com um espeto, disposto a matar o roedor que fugia com um naco de salame porta afora, o bicho teima em voltar. Dia desses, Bob teria acordado no meio da noite com alguém roncando. Encontrou o tal rato dormindo embaixo do travesseiro ao lado... Nova confusão!

Mas nesse dia, em especial, o assunto no ponto era o sexo frágil. Nosso colega Carlão tinha chegado com o Diário Gaúcho, que trazia na página central uma foto espetacular de uma morena vestindo um biquini minúsculo. O jornal passava de mão em mão causando alvoroço. Quando Carlão já ia levando o DG para o táxi, o flanelinha pediu para dar uma olhada.

Fiquei de olho no Bob, imaginando que ele iria direto à página central. Para minha surpresa, ele pegou o jornal pelas costas, abriu a última folha e começou a ler. Só então, lembrei que estávamos na segunda-feira e que o guardador de carros é leitor assíduo da minha modesta coluna. Que beleza!

Bob ficou por um bom tempo preso à última folha lendo o que eu havia escrito. Vez por outra, balançava a cabeça e esboçava um sorriso. Quando terminou a leitura, fechou o jornal e devolveu ao Carlão, sem sequer olhar a foto da página central. O sorriso largo que Bob me lançou antes de partir era a prova de que meu texto tinha agradado. Bingo!

Em termos de preferência popular, futebol e sexo ganham de goleada. Mas se sobrar um espaço, a literatura marca seu golzinho.

7 comentários:

Rafael Perfeito disse...

Amém!!!!!!

vidacuriosa disse...

Diferentemente do escritor de internet, o de livros e de jornais não tem um retorno tão imediato dos leitores. Por isso, independentemente dos recados que recebes aqui no Taxitramas, imagino a tua alegria ao ver o flanelinha curtindo a tua coluna. Abrs

Bah disse...

Nossa, previsibilidade definitivamente não faz parte do mundo de Bob rss

Kisu!

Clarice disse...

Eu faria a mesma coisa. Estranho hábito de começar a folhear revistas pela última página. Mas se teu texto estivesse no meio...;))))))
Abraços.

Dalva M. Ferreira disse...

Gostei do Bob!

Jéssica disse...

=)

Silvana Santos disse...

Bob usou de inteligência.