quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

 Temos uma farmácia ao lado do nosso Ponto de Táxi. Fila o dia inteiro pra fazer teste COVID. Uma loucura. Há pouco, chego no ponto e tem um magrão fazendo uma transmissão, gravando um vídeo, sei lá. Ele segurava o celular na altura do rosto e falava com o aparelho. No exato momento que eu parei ele dizia todo animado:

– Acabo de sair da farmácia. Advinhem: PO-SI-TI-VO!
Assim, todo feliz, sem máscara, sentado no banco do nosso Ponto. Sentado ao lado dele, nem dois metros distante, meu colega Dedão, um senhor dos seus oitenta e tantos anos. Desci do táxi e fui no magrão.
– Caramba, meu! Vaza, vaza e bota essa máscara!
Ele ficou todo afetadinho, ui, ui, segurando o celular, gravando, tem um taxista aqui me hostilizando, não sei o que, eu mandando sair fora, já meio empurrando o magrão, mandando se isolar, mostrando o meu colega idoso ao lado dele. Foi quando ele explicou que era "influenciador digi". Nessa exata sílaba, ele levou o primeiro tapa na orelha: PLAFT!
O magrão virou a câmera do celular, avisou que estava gravando, que era discurso de ódio, intolerância, instafobia, não sei o que mais, eu mandando à merda, chutando as canelas, mandando vazar, o loko gravando, vou postar, no insta, no YouTube, sou influencer, não sei o que, meus seguidores... e toma sopapo no pé do ouvido, vai, vai, vai, meu chapa, cai fora daqui!
O vídeo deve estar bombando nas redes. Procurem por taxista malucão agredindo influenciador. Deve aparecer.
Me mandem o link.

2 comentários:

Eliana disse...

Mas eita, Mauro! Que situação!

Essa geração tiktoker, influencer, não sei o que... meu deus do céu! Que pessoal sem noção!

O que importa para essa turma é movimentar redes sociais, aparecer, ter likes, como se isso fosse o auge da vida. Ah, nem sei mais o que dizer.

Espero que seu amigo esteja bem.

Um abraço!

Dalva M. Ferreira disse...

Muito moderno, esse meu amigo taxista. O cara mereceu cada sopapo, parabéns!