domingo, 2 de janeiro de 2011

Eu te proponho

A passageira fez sinal, eu liguei o alerta do táxi e fui parando, como paro para dezenas de corridas durante o dia, sem nenhuma expectativa, mais uma corrida entre tantas. Sequer dei uma boa olhada na passageira que me solicitava na calçada. Era manhã de sexta-feira, último dia do ano, último dia de trabalho, tudo que eu queria era cumprir aquela jornada, desligar o taxímetro e virar as costas para 2010. Parei e deixei que ela embarcasse.
Estranhei que a passageira tenha optado pela porta dianteira. Não é comum que mulheres sentem no banco da frente, junto ao taxista, mas, até ai, tudo bem. Ela bateu a porta, fechou os olhos, jogou a cabeça para traz e respirou fundo, soltando o ar ruidosamente pela boca. Parecia bem cansada. Só então reparei melhor na mulher que estava sentada ao meu lado.
Não era feia nem bonita. Normal. Na casa dos quarenta, baixinha e um pouco acima do peso. Tinha o cabelo esculhambado, com o que restara de um penteado de festa. A roupa também denunciava a saída de alguma festa: uma blusa branca brilhante. Quando ela olhou para mim, percebi que tinha os olhos vermelhos e inchados, típicos de quem andou chorando bastante.
Eu estava com o táxi parado junto ao meio-fio, esperando que ela desse o destino da corrida. Depois de alguns breves segundos me olhando nos olhos, a mulher me saiu com a seguinte proposta:
- Meu amigo, eu tive uma noite péssima, a pior da minha vida, eu acho. Estou sem dormir, arrasada, desiludida. Tudo que eu preciso agora é um homem que me empreste o ombro, que me abrace, que me faça sentir viva, que me faça mulher. Tu queres ser esse homem do qual eu estou precisando?
Foi um longo ano, este de 2010. Entre alegrias e tristezas, lucros e prejuízos, o saldo é altamente positivo. Acho que posso orgulhar-me de não ter feito grandes besteiras no ano que passou. Não seria na porta de saída que eu iria enfiar os pés pelas mãos.
- Não, obrigado.

17 comentários:

Caminhante disse...

Tadinha. Pediu pro homem errado.

Eduardo P.L disse...

Complicado, hem, Mauro! Mas acontece! E são nessas horas que se conhece o caráter de um homem, ou melhor, de um bom marido!!!!
Forte abraço

Dalva Maria Ferreira disse...

Feliz Ano Novo para nós todos.

Adriano de F. Trindade disse...

O detalhe é que o que ela ofertou sempre tem um preço. Mesmo sendo um oferecimento, não quer dizer que é de graça. E, frente ao que o cara tem á perder, esse preço pode ser maior ou menor. Se eu, solteiro, estivesse na vossa pele, eu saberia o destino da viagem sem que ela precisasse me dizer.
Mas uma coisa eu admiro, que é típica da cidade grande: a franqueza dessa mulher. Foi direto ao assunto. No interior isso é meio incomum.
Um grande abraço e um 2011 repleto de boas corridas, lucrativas e sem stress!

Dois Ursos disse...

Muito legal seu blog. aterrissamos aqui por uma matéria no www.techtudo.com.br.

Conhecendo mais.
Muito curiosos, pois, por este post deve ter historias surreais.

Acho que a mulher errou de profissional, nao é? rsrs.
Abração:
Vida de Dois Ursos

Fátima disse...

hahahahhahaha muito boa mauro! feliz 2011!

Anônimo disse...

A tentação bateu à tua porta literalmente! rsrsrs Bj gde (Sara)

Plínio Nunes disse...

Depois de fazer papel de psicólogo, assistente social e até conselheiro sentimental, o taxista ser instado a participar como personal sexual é brabo! Se o cara é solteiro e rola um clima, aí tudo bem. O que não dá é fazer uma boa partida, criar lances fenomenais e depois, no apagar das luzes do jogo, marcar contra o seu próprio gol. Feliz 2011

Clarice disse...

Nem todo dia é dia de caridade, não é?
Boas férias pra vocês.

Ulisses Adirt disse...

Eu, que não sou a favor da monogamia, não consideraria isso enfiar os pés pelas mãos. Mas, entendo sua escolha.

De resto, fiquei morrendo de dó da moça.

Vai de Táxi! disse...

hahahaha Putz...

Eu não tenho essa sorte. =D

Aqui em Salvador é bem comum a getne sentar no banco da frente do táxi. EU so utilizo o banco do carona. nunca no fundo.

ABraços Mauro e feliz 2011

**** disse...

Ahahahaha. Acho que você deu uma avaliada e acabou chegando à conclusão que se for enfiar o pé pelas mãos ao menos seja por uma que compense. Cá entre nós, a mulher devia ser bem feia, né verdade?
Abraços, garoto!

Delafonte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Delafonte disse...

Se fosse no desenho dos Flincstones o Mauro estaria no seu táxi de pedra e troncos de árvores , e com os pés descalços cheios de calos, louco pra pegar a primeira carne que viesse pela frente; iria abater a presa com sua clava sem maiores dores de consciência e arrastá-la pelos cabelos pra caverna mais próxima. <>

Eliana disse...

Olá Mauro!!! Feliz 2011!!!

Venho aqui agradecer a sua gentileza e atenção em Porto Alegre!

Amei a cidade!!! Depois de cinco anos de casamento, só agora tive a oportunidade de ir com meu marido (também gaúcho), conhecer sua terra natal. Virei fã de carteirinha! Quero voltar muitas outras vezes!!!

Degustei seu livro inteirinho durante a viagem, página por página! Rsrsrs Maravilhoso!!!

Olha, se depender de meu apoio moral, esse ano te vejo no Programa do Jô, guri! Hahaha Já mandei meu mail pra lá. Agora vou cruzar os dedos e aguardar!!! Vamos lançar essa campanha em 2011!!!

Desejo a você um ano feliz!!! Continue assim, sem enfiar os pés pelas mãos!!! hahaha Muito sucesso pra ti!

Abraços!

Ps: postei uma indicação e um agradecimento lá no meu blog.

Clara Gurgel disse...

Quer dizer que se fosse solteiro teria OBRIGAÇÃO de aceitar? E se vc não tivesse com vontade? E se vc visse nesse convite muito mais um pedido desesperado de socorro do que qualquer outra coisa? E se vc visse que,se aceitasse, estaria só arranjando mais um problema para essa mulher?

Rud Almeida disse...

É, meu caro... complicado hein? Lembra quando eu postei sobre aquela mocinha que me deu mole? Embora eu fosse solteiro à época, essas coisas só servem pra acender um estopim e um dia a casa explode, não apenas cai.
Eu teria feito o mesmo...