segunda-feira, 25 de maio de 2009

Ao pé da letra

Eu sou um taxista de sorte. Nos 25 anos que trabalho na praça, nunca fui vítima de nenhum assalto violento. Talvez por ser um cara calmo, nas poucas vezes que fui assaltado, tudo se resolveu sem maiores problemas.
Mas como eu tenho esse péssimo hábito de contar histórias, certa vez resolvi criar um assalto imaginário, misturando detalhes de várias histórias que ouvi de colegas meus. Nesse meu caso fictício, eu era amarrado com a meia-calça da passageira, colocado no porta-malas, pulava cercas de arame farpado...uma loucura!
O que aconteceu foi que passei meses tendo que tranquilizar as pessoas que me procuravam para saber se eu estava bem. Perdi as contas de leitores da minha coluna que passavam lá pelo ponto querendo saber como eu estava.
Depois desse episódio, eu me dei conta do que é escrever para um jornal de grande circulação como o Diário Gaúcho. Da responsabilidade que é mexer com o imaginário de cerca de um milhão de pessoas, todas as segundas-feiras.
Semana passada, contei aqui uma lenda que ouvi do segundo maior mentiroso da praça (ele só perde pra mim), o Carruíra. Uma história envolvendo uma criança que teria sido sequestrada da Santa Casa. Isso acabou gerando uma certa intranquilidade na maternidade daquele hospital. Calma, pessoal, aquilo não aconteceu, creiam!
A Assessoria de Imprensa do hospital lembra que não consta nos registros da Maternidade Mário Totta da Santa Casa um caso sequer de sequestro de criança, tranquilizando as pacientes/clientes da instituição. Amém.
É preciso que o amigo leitor não leve o que eu escrevo ao pé da letra. Depois de seis anos de coluna, mais de 300 causos contados, nunca é demais lembrar: qualquer semelhança nas minhas histórias com fatos e pessoas reais terá sido mera coincidência.

19 comentários:

Tiago Medina disse...

Não é à toa que dizem que a imprensa é o quarto - e mais forte - poder do País, Mauro.
Mas é bom ver que tens essa percepção de responsabilidade.

Lelê Maria disse...

ha ha! Tadinha de ti, se f**.

Que responsa heim?! Eu até acreditei, poxa vida...

Giane disse...

Oi,Mauro!

Pois,é...Taxistas são mesmo terríveis!
Alguns, o que é melhor, escrevem na internet e são bastante responsáveis no volante e no teclado...

Beijos mil, Amigo de Boas Palavras!!!

RaUL disse...

AI, MALRO, EU QUERIA SER IGUAL O SENHOR

POIS QUANDO - EU - CONTO PARA O MEU, AMIGOS, NA, ESCOLA, QUE, EU POR, ESEMPLO, COMI, UMA MULIER DE VERDADE NO MUNDO REAL(NÃO DE COISA INFLÁVEU DE SEX SHOPING) ELES NUNCA ACREDITÃO.

Lidiane disse...

Bom, eu sou meio boboca. Então não sendo uma coisa muito absurda, acredito mesmo.
Hehehehehe

Luca disse...

1 milhão de pessoas? Poxa vida... Quem dera um dia eu chegar ao nível de escrever pra 100 :P

E.. Pois é, né.. Nerd nas horas vagas, pq, nas outras horas, sou só mais um cara um pouco estudioso xD

Debby disse...

Oi, Mauro! Hahaha, pois é, já dizia a nossa ilustre Clarice Lispector: A palavra é o meu domínio sobre o mundo...

Fico sempre muito feliz com as suas visitas ao meu humilde blog!

Abraços!

Fatima Rama disse...

hehe mas sei que muitas histórias são verdadeiras, a maioria né?? heheh bjuss

Clarice disse...

Mera coincidência ou não.Fica o mistério.
Essa preocupação e efeito sobre os leitores só comprovam o quanto ainda há de crença na honestidade das pessoas. Viu cmo nem tudo está perdido. Bem, talvez só o campeonato.
Abraços chuvosos.

Silvia disse...

hahaha!!! até a assessoria de imprensa entrou no meio?? esse é o preço da fama, meu amigo!! hahaha!! muito chique!!!

Márcio Diemer disse...

Hahaha! Que enrrascada em Mauro? Isso é verdade, a internet nos abre portas, quem diga a divulgação de uma história dessas no DG! Abraços e valeu pela visita!!

JM disse...

Impressionante. Tem gente que encontra os atores das novelas da Globo na rua e xinga, bate nos que fazem papel de vilão. Não conseguem separar as coisas!
Outro dia tinha num fórum de discussão sobre o Skank um tópico debatendo se o Samuel Rosa fumava ou não, que mal exemplo ele era, só por causa de uma letra que ele canta sobre um escravo muçulmano que fumava para ter visões...

Anderson disse...

É verdade mesmo!
Muita gente leva ao pé da letra tudo o que lê.
Excelente final de semana para você!

Dalva M. Ferreira disse...

Taxista honesto? Sei...rsrsrs

Germano Xavier disse...

Salve, Salve, Mauro!

E que coisa, heim!
A palavra tem mesmo este poder, quando aliada à comunicação de massa.

Se cuida aí!

E continuemos...

Clarice disse...

"Malro", só agora li o comentário do RaUL. Isso que é colocar em dúvida o autor e o fato! É um piadista, com certeza.
Hahaha.
Abraços.

Alexandre RJ disse...

Mauro... segundo maior mentiroso, só perdendo pra você, é ótimo... rs. Mentiras ou não, continua ótimo!

Liziane Ribeiro disse...

Aah pois é...eu terminei de ler sobre o sequestro, fui atras pra saber mais detalhes, e de fato havia acontecido numa Santa Casa de outro estado e não mencionava nenhum taxista...

tesco disse...

Isso se chama credibilidade, algo que a mídia sempre quer ter, mas só alguns cronistas conseguem. Parabéns! _Abraço.