segunda-feira, 13 de abril de 2009

O cochilo do Zé Barriga

O querido leitor me perdoe algum atropelo com as palavras, pois estou escrevendo às pressas, enquanto almoço, entre um respingo e outro de molho de tomate.
Além de o serviço estar muito corrido e eu estar trabalhando uma barbaridade, o que me faz escrever assim, entre os talheres, é o fato de ter visto chegar ao restaurante um taxista que eu não via há muito tempo por aqui, o Zé Barriga.
Isso me fez lembrar de uma história dele, que ainda não contei. É um caso ligeiro, acho que cabe tudo em dois guardanapos.
Na verdade, o restaurante a que eu me refiro não passa de um boteco humilde, mas que serve o melhor prato-feito do Bairro Menino Deus a um preço convidativo. Por essa razão, o lugar vive coalhado de taxistas.
E o fato é que onde se juntam muitos taxistas...
Quando almoçava por aqui, Zé Barriga tinha o hábito de, assim que acabava de comer, tirar um cochilo dentro do seu táxi, que ficava estacionado em uma sombra, ao lado do boteco. Acontece que, de sacanagem, alguns colegas aproveitaram o sono profundo do Barriga e, sem que ele percebesse, retiraram o luminoso do teto do seu táxi.
Mais tarde, ainda sonolento, o taxista espreguiçou-se e partiu para o trabalho, sem o luminoso de identificação.
Reza a lenda que meu colega teria rodado boa parte da tarde sem conseguir um passageiro sequer, já que estava com o teto do táxi pelado. Por sorte, um gaiato o teria avisado da falta do equipamento!
Desde então, é a primeira vez que vejo Zé Barriga novamente aqui pelo boteco – ao que parece, ele andava evitando esbarrar com os sorrisos maliciosos de colegas que participaram daquela brincadeira. Seu carro ficou estacionado na mesma sombra de antes. Ele pediu um prato e está comendo com gosto.
Mas duvido que se arrisque a cochilar depois do almoço.

19 comentários:

Fatima Rama disse...

Oi Mauro!! muito boa a história, mas passei aqui para te dar feliz aniversário!!! eu sei que foi ontem mas não consegui parabenizá-lo!! parabéns a você, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida!!! tu mereces tudoooo de bom!!! bjos Fátima

Clarice disse...

É isso: quem tem cuida, né?

Mas hoje é dia de abraços especiais pela passagem de aniversário, com direito a coelho e tudo.
Muitas alegrias, saúde e serviço à vontade.
Parabéns!

Alini disse...

que maldade, deixem o homem dormir em paz hahaha
E parabéns por mais um ano... ariano como eu, por isso sabe escrever bem! rsrs

(required field must not be blank) disse...

Escreveu com pressa, mas, mesmo assim, mostrou que, aí no Sul, as pessoas ainda sabem separar as orações: "Além de o serviço estar muito corrido". Aqui no Rio, foi-se o tempo e ninguém vai mais à escola.

Mas diga-me, ó Mauro: entre esses "alguns colegas" estava o digníssimo escrevinhador?

Mari Lopes disse...

Pobre do Zé!

Anunciação disse...

Coitado do Barriga!

Plinio Nunes disse...

O Zé Barriga deve estar esperando um momento de dar o troco. Se é que já não deu. Quem com trote fere...
Estou um pouco atrasado, mas não posso deixar de cumprimentar o amigo pelo aniversário. Parabéns com votos de muita saúde para continuar levando seus passageiros em segurança aos seus itimerários e, a nós, leitores, alegrias hebdomadárias (bah, me puxei).

Tiago Medina disse...

Pobre do Zé Barriga.
Sacanagem pouca é bobagem, hein! hehehe
E trabalho corrido é féria gorda! Dá-lhe Mauro.

abraço

Lídia disse...

hahhahahaha
Também né...depois dessa o coitado do Zé não vai querer cochilar depois do rango nunca mais...rs
Desculpe o sumiço Mauro...ando numa correria que só..rs

"Há braços"
=}

Anderson disse...

Nunca tive o hábito de cochilar depois do almoço. E cochilar perto de quem trabalha com a gente, pode ter algum risco de brincadeiras indesejadas também.
Excelente semana para você.

Herika disse...

Ah... mas tem coisa mais gostosa do que um cochilo de barriguinha cheia? ;)
Beijos!!!

karin disse...

Parabens atrasado...mas ta valendo né!!!Te desejo muita saúde.Muito boa a história.Abraços.

LL disse...

Legais suas histórias, acho que o Zé Barriga vai pensar duas vezes antes de tirar uma soneca...

Mas que brincadeira maldosa, não? x.x

Pobre taxista... euheuheu

Pelo que vi é seu aniversário, então parabéns!

Irei acompanhar seu blog, continue com boas histórias assim e aposto que muitos outros irão acompanhar você também.

Abraço.

Tássia Jaeger disse...

Oi Mauro, queria te contar que teu blog será fonte de estudo no meu tcc da faculdade. Espero poder contar com uma entrevista tua para enriquecer minha monografia em junho! Abraços...agora vou ler teu blog de cabo a rabo de novo como acadêmica e não como leitora!

Gabrielle disse...

Posso dizer que ouvi a hisória do Zé Barriga antes dela ser postada no Taxitramas. Quanta honra! ;)


Parabéns pelo blog, Mauro.

Abraço,

Vanessa disse...

Mauro, o post já está no ar!
Gostaria de agradecer, mais uma vez, pela ótima entrevista e pela maravilhosa recepção!
Parabéns pelo trabalho, e por ser essa pessoa tão gente fina que tu és!

Um abraço,
Vanessa Freitas.

Silvia disse...

Tadinho do Zé Barriga!! Fiquei sabendo do niver pelos comentários!! Devo estar beeem atrasada, mas espero que vc ainda esteja aceitando os parabéns paulistanos por essa data querida.... Há braços!!!!

Paulo disse...

Olá Mauro,
Mais uma história bem engraçada...
Parabéns por isso e pelo aniversário.

Um abraço de Portugal,
Paulo

Minhavida.com disse...

Por estas e por outras mais é que não me confesso.