segunda-feira, 23 de março de 2009

Bate-boca na avenida

Mais uma cena daquelas que só a neurose urbana é capaz de produzir.
Aconteceu na Avenida José de Alencar. O motorista de um Fusca confundiu-se e parou no meio da via. Ele não percebeu que o sinal que estava fechado era só para quem entraria à esquerda. Um engano comum.
Uma enorme caminhonete importada, destas que mais parecem um tanque de guerra, parou atrás do tal Fusca e abriu a buzina, na tentativa de fazê-lo seguir em frente, já que o sinal estava aberto para quem desejava ir reto. Eu parei atrás dos dois.
Como o motorista do Fusca parecia não estar entendendo o recado, o cidadão da caminhonete colocou o corpo para fora da janela e começou a gesticular e a insultar o proprietário do carro da frente. Eu logo vi que aquilo não ia acabar bem.
Ofendido, o motorista do Fusca desceu para tirar satisfações. O sujeito da caminhonete, intimidado, preferiu permanecer dentro do carro. Batendo na reluzente lataria da caminhonete, o proprietário do Fusquinha desafiava seu oponente a sair para a rua e enfrentá-lo. Enquanto isso, uma fila de carros se formava.
Foi então que entrou em cena uma terceira personagem: a mulher do motorista do Fusquinha. Talvez acostumada com os escândalos do marido, a mulher começou a gritar para que ele voltasse para o carro, para que fossem embora dali. Sem dar ouvidos à esposa, o marido continuava esbravejando e batendo na caminhonete.
Inconformada com aquela situação ridícula e cansada de pedir ao marido que lhe ouvisse, a mulher tomou uma atitude extrema: passou para o volante do Fusca, ligou o motor e partiu, deixando o marido brigão no meio da avenida, de boca aberta! O motorista da caminhonete aproveitou o caminho livre e também se foi!
Quando passei pelo marido abandonado, pensei em perguntar se ele precisava de um táxi, mas achei melhor ficar quieto.

17 comentários:

Clarice disse...

Rapaz ajuizado você.
É que a mulher tinha hora marcada para fazer as unhas. Ou já estava acostumada com essas cenas do maridão.
De novo motoristas de SUV. Deveria ter horário pra circularem.
As pessoas andam nervosinhas. Mudança de estação, andropausa, sabe lá.
Abraços e boa semana.

Lidiane disse...

Hahahahahahahaha!

Que bela atitude, a da moça. E a sua.

Liziane da Costa Ribeiro disse...

Aham...conheço uma pessoa assim também.
Quando erram ele é O CARA, mas quando ele comete os erros aí o ignorante é quem tocou a buzina.
Certa a mulé que se mandou.

Anônimo disse...

hehehe achei que a mulher do fosquinha iria fazer um barraco maior que o do marido, mas ela é que foi a esperta... deve estar mais do que acostumada!
mas se eu fosse você Mauro, teria oferecido o taxi e saído acelerando logo depois! hehehehe Fico imaginando a cara do sujeito!! Será que assim ele ia apreder a se comportar?? heheh
Um abraço de Belo Horizonte,
Mariana L.

Juliana. disse...

AHUAUHAUHAUAUAHAUHAUAHUAHUHA
A-DO-REI essa mulher!!!

Júlio disse...

Sorte que ninguém puxou "das arma" como são acostumados os de Passo Fundo. Certa feita, numa situação bem parecida, um carro velho enguiçou na sinaleira e o que estava atrás desceu prá tirar satisfação, mas já foi indo prá desmontar o sucatão pifado "no grito". Só que teve que virar em perna, pois o dono da lata velha desceu também, mas com um baita facão na mão intimando o nervosinho prá "levarem um dedo de prosa"...

Mari Lopes disse...

Vish! O povo está cada vez mais louco!

Rafaela disse...

hahahah, adorei a atitude da mulher! 'se quer brigar, briga sozinho...'
adoro seu blog! belo trabalho!

Barone disse...

Muito boa.

Ynot Nosirrah disse...

Caramba, cara. Preciso sair mais nas ruas prá ver comédias assim. Passo maior parte do tempo dentro de um hospital. Se bem que lá também aparecem coisas esquisitas de vez em quando. Depois eu conto.

KAKA disse...

huaauuah já fiz muito disso com meu ex marido, é, ex mesmo, deixava gritando ou falando sozinho... rsrsr foi a melhor coisa que vc fez e o que fiz... rsrsrs

Tiago Medina disse...

hahahaha
passo direto neste ponto da José de Alencar e já cansei de ver pessoas confundindo-se com aquele sinal. Mas presenciar uma cena dessas, bah, é fantástico hahahahah
bem feito pro cara do fusca!!!

abraços

Silvia disse...

Que história ótima!! Adorei a atitude da mulher e gostaria de ter coragem de fazer isso também.... em uma situação dessas.

Dani® disse...

Olá, Mauro. Sobre o que você falou no meu blog, não é questão de recomendar, é só o que eu gosto de entrar pra ler às vezes. E lá no blogger tem o link pra cá...então pra mim era mais prático que ficar mudando html.

Dalva M. Ferreira disse...

Adorei! Eu dificilmente dou risada, mas dessa vez eu ri deliciosamente. O desfecho leve, inesperado, foi muito bem escrito, como sempre. Que invejinha de você viu.

*LIS disse...

HAHHAAHHA adorei esssa!

E e por isso que a determinacao e alma feminina e essencial a paz mundial!

Adriana Santos disse...

Amei a atitude desta mulher. Corajosa. E por ele ter ficado boquiaberto, certamente não esperava. Adoro ler seus escritos, mesmo em textos que tinham tudo para serem tristes, vc consegue dar uma leveza gostosa...

Boa sorte!