domingo, 28 de junho de 2015

A mais longa das corridas

Em meados de 2003, um passageiro embarcou em meu táxi e, sem que eu me desse conta, mudou minha vida. Cyro Martins Filho era o então editor do jornal Diário Gaúcho. Ele sabia que eu lia muito, que gostava de literatura. Pois nessa corrida, há 12 anos atrás, ele me sugeriu que eu escrevesse as histórias que rolavam no meu táxi. Nascia ali o TAXITRAMAS. Passei a assinar uma coluna semanal no DG, o jornal da maioria.

Desde então, por 12 anos a fio, o Diário Gaúcho trouxe em sua última página da segunda-feira uma história envolvendo o cotidiano dos taxistas. Foram centenas de textos onde eu procurei relatar as agruras, as alegrias, a paixão, a força desta categoria que carrega o mundo em seus carros de praça.

Mas, para mim, esta longa corrida literária termina aqui. Creio que honrei o espaço privilegiado que o DG me reservou esse tempo todo. Só tenho a agradecer. Como disse no começo, esta coluna de jornal acabou mudando minha vida. Mudando para melhor. Vou me dedicar agora ao próximo livro, à série de TV que finalmente vai sair do papel... novos projetos.

É hora de dar lugar ao novo, de ouvir o que outros têm a dizer. Outro taxista, quem sabe? Quem sabe as histórias que contei aqui não inspirem outro colega a escrever as suas. Assunto é o que não falta:

Nesse momento, em um táxi, um casal está discutindo, um idoso está ruminando, uma criança está sendo consolada, um coração está se partindo, um torcedor está roendo as unhas, um namoro está começando. Em um táxi, nesse momento, uma mulher pode estar parindo, um cachorro vomitando no estofamento, um batuqueiro levando o despacho. Jovens bêbados, soldados fardados, mulheres fatigadas, travestis produzidos.

Nesse momento, em algum táxi, um político está discursando, um doente desabafando, uma amante recebendo flores, um casamento acabando, um crente pregando, um assaltante está puxando sua arma…

Deus há de estar em todos os táxis, nesse momento.

11 comentários:

Sérgio LB disse...

Carpinejar, o teu sósia, acabou de borrar o esmalte do minguinho... rsrs
Série de TV... UAU!!!
Um ciclo acaba de se encerrar, com louvor!
Novos ciclos virão. O primeiro já anunciaste: série de TV.
Parabéns!!!

Dos teus amigos, leitores e usuários do teu táxi SÉRGIO & NEIVA.

Anônimo disse...

Já me deu saudades.

Luizfst disse...

Uma despedida em tom nostálgico e ao mesmo tempo trazendo boas notícias. Acompanhei teu blog por muitos anos e nunca me manifestei por aqui. Aproveito para dizer que tua escrita é inspiradora e traz uma vertente que eu sempre busquei em meus escritos, de relatar a realidade de uma forma crua e verdadeira, e ainda sim poética. Admiro muito você e torço para que teus projetos prosperem! Boa sorte!

Anônimo disse...

Gosto demais dos seus textos, embora não faça comentários. Muito sucesso com os seus novos projetos! Tereza.

Jonjo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jgilbertons disse...

Foi muito bom acompanhar ao longo dos anos suas histórias no blog. Boa sorte nas novas empreitadas Mauro!

Anônimo disse...

Belas palavras, ja com muita saudades do blog, acompanho a vários anos seus posts, parabéns pela evolução.

LTeko disse...

Vai continuar, postando em seu blog ? estou esperando novas historias :) por favor, nao fique sem postar as historias que fazem nossos dias, viajar em seu mundo e desligando do stress da vida

Mauro Castro disse...

Por enquanto, instagram. @taxitramas

Mauro Castro disse...

Por enquanto, instagram. @taxitramas

Guilherme Madeira disse...

Olá Mauro.
Agora é que eu percebi que tu não és mais colunista do Diário Gaúcho.
Durante muitos anos fui leitor assíduo do jornal. Fiquei um tempo comprando o jornal só de vez em quando, mas, a pedido da esposa, que queria colecionar os selos do Junte e Ganhe, voltamos a comprar o jornal diariamente este ano. Daí, numa segunda-feira dessas, vi que não tinha mais tuas histórias ali.
Não sei se tu pediste para sair do Grupo RBS ou te dispensaram de lá, mas foram 12 anos de uma experiência bem interessante, como taxista e escritor!
Enfim, boa nova empreitada para ti! E boas corridas!
Agora que eu sei qual é o teu ponto e o teu prefixo, qualquer dia terei a sorte de pegar teu táxi.
Abraço
Guilherme - funcionário público e busólogo.