domingo, 28 de novembro de 2010

Apaixonado pelo táxi

Nunca vi ninguém cuidar tanto de um carro como o taxista Ismael. E olha que o táxi nem é dele. Ele trabalha como empregado, em um carro de frota. Isso, porém, não o desanima, Ismael trata o táxi como a uma amante. Dedica-lhe todo o carinho, apesar de dividi-lo com o motorista da noite, um relaxado que não está nem ai para o veículo.
Ismael chega muito cedo à garagem. O dia nem raiou e ele já lavou todo o táxi. Usa uma cera líquida, para dar brilho. Passa gel nos pneus, tudo bem pretinho. Uma flanela bem seca nos vidros, para tirar a gordura. Querosene na parte inferior da lataria, para tirar as manchas de piche.
O interior do veículo recebe especial atenção. Tapetes todos pra rua, aspirador, pano úmido para tirar o cheiro de cigarro do teto e do estofamento, que o motora da noite deixou, aquele imundo. Ismael tem sua bolsa com produtos de limpeza, carrega no porta-malas do táxi, é indispensável: escovinha, flanela, aromatizante. Ai de quem mexer naquela bolsa!
O acabamento é a cereja do bolo. Antes de partir para a avenida, Ismael ajeita os últimos detalhes. A cobertura do banco com a rede de bolinhas de madeira, para arejar as costas, massagear. Um CD com músicas românticas a rodar, um sachê de lavanda, o cachorrinho balançando a cabeça sobre o painel, uma prece segurando o rosário enrolado no retrovisor...
As luvas sem dedo, os óculos escuros, os espelhos cuidadosamente regulados, o cinto de segurança, Ismael liga o taxímetro e vai para a pista. Não tem pra ninguém, é o táxi mais caprichado da cidade. Os elogios dos passageiros virão, com certeza. O taxista receberá os parabéns com orgulho, mas com um certo desdém de quem já está acostumado a ouví-los.
No fim da tarde Ismael entrega a féria ao patrão e parte sem olhar para trás. Ele trata o táxi como a uma amante. O parceiro da noite, aquele imundo, que trate de aproveitar seu turno. Amanhã será outro dia.

9 comentários:

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

Até hoje eu vi poucos taxistas usando luvas em Porto Alegre, o único que eu me lembro agora de cabeça é um gremista que fica num dos pontos do Iguatemi e roda numa Meriva (pelo menos rodava numa, pq faz alguns meses que eu não pego táxi no Iguatemi).

Caminhante disse...

Quem disse que o da noite também não trata o taxi como uma amante? Cada um sabe a amante que tem...

Vai de Táxi! disse...

"A cobertura do banco com a rede de bolinhas de madeira"

Isso é clássico. hahahaha adorei.
Ismael é personificação de um taxista.

:D

**** disse...

Desculpe a associação maldosa e impudica, mas enquanto Ismael trata o táxi como amante, o motorista da noite o trata como esposa. ahaha
Abraços!

Fernand's disse...

isso que é amor!




rsrs

bjs meus

Plinio Nunes disse...

Esse conhece. Deve ter tido aulas (ou então é um dom nato)de como agradar aos clientes. Pena que o exemplo, pelo relatado, não é seguido no outro turno. Mas enfim. Se os dois fossem iguais, esse esforço do Ismael não seria tão notado e reconhecido.

Mauro Anselmo disse...

Hehehhehehehe, eu compreendo o Ismael, tambem sou assim com a minha moto e olha que nimguem pega ela depois, hehhehehe

Mauro Anselmo
http://rosilhomaleva.blogspot.com/

Clarice disse...

Hummmm, tenho a impressão que ese post teve endereço certo.
Quem sabe se o "Ismael" deixar de cuidar um dia, só por um dia, e entregar o carro fedorento e sujo para o imundo da noite? A amante não irá a parte alguma, já o imundo, quem sabe aprenda.
Sempre fico admirada, pra não dizer abestalhada, com o tempo que os meninos gastam cuidando do carro. A casa vale mais que um carro e nem por isso, né? Verdade que ninguém chama os amigos pra mostrar a casa, dar uma voltinha, mostrar que a casa representa seu sucesso. Convenhamos que o carro representa(como você bem escreveu num posta antigo) aquilo que o cara nao tem, mas pelo menos que gastem menos água. Pra que lavar tanto?
Abração.

Amanda Porterolla disse...

Olá!
Conheci seu blog através da Cleide, minha colega de Jornalismo que o entrevistou uma vez. Você deve lembrar.
Hoje, passei aqui para lhe dar os parabéns pela criatividade nos textos e pela escrita objetiva!

*Meu tio também é taxista, talvez você conheça. Ele é do aeroporto, Jairo Porterolla...

Sucesso, rapaz!