domingo, 3 de janeiro de 2010

A arte de dar gorjeta

Uma passageira me contou essa história. Ela é usuária do nosso ponto, mas, nesse dia, tinha acabado de sacar dinheiro no banco e precisou pegar o primeiro táxi que apareceu. Como sempre acontece quando pega um taxista desconhecido, disse que embarcou desconfiada, sem saber que tipo de profissional encontraria ao volante. Logo, porém, suas preocupações acabaram.
Foi recebida pelo taxista com um cumprimento cordial e um sorriso sincero. O homem era pura educação. Antes de tudo, perguntou se ela estava bem e pediu que ficasse à vontade.
O táxi era outro capítulo à parte. Um carro novo com suave aroma de lavanda, estofamento em couro, som ambiente e ar condicionado na temperatura ideal. A passageira ficou encantada.
Mesmo depois de saber que a corrida seria curta, o taxista seguiu sendo amável. Pediu que a passageira não se preocupasse com isso. Explicou que todos os seus passageiros são tratados da mesma forma, não importando o tamanho da corrida.
Ao final, o taxímetro marcava R$ 5,00. A passageira puxou da bolsa três notas de dois reais. Antes de entregar o dinheiro, fez questão de elogiar muito o taxista. Salientou que profissionais daquele nível deviam ser recompensados. Pediu que ele ficasse com o troco, pois era merecido.
Ela me disse que lembra bem que o homem ficou empolgado demais com sua pequena gorjeta. Ele insistia que não era necessário, que ela não precisava se preocupar. O taxista chegou a perguntar se aquele dinheiro não lhe faria falta. Mas ela fez questão de deixar assim.
Só mais tarde, já em casa, a passageira percebeu que lhe faltava dinheiro. Faltava uma nota de R$ 100, que é da mesma cor da nota de R$ 2 - as duas cédulas são muito parecidas. Só então ela entendeu o tamanho da gorjeta que tinha dado ao taxista.

21 comentários:

Caminhante disse...

Ai, que dor no coração. Uma nota dessas não é fácil de se ver por aí.

Adro disse...

bah, pra mim notas de R$100 são lenda... acho que ñ existem... são iguais cabeça de bagre só ficção...
forte abraço Castro... mais um ano juntos de TAXITRAMAS...

Anunciação disse...

Ah,coitada!

Anônimo disse...

Gorgeta de 1 real? Corrida de 5 reais? Mas que mulher munheca de samambaia, hein? Pensei que o motorista fingiu ficar empolgado:)
Ahahahaha!

tereza disse...

Ah, não é anônimo o comentário anterior.

Rudemberg de Almeida (Rud) disse...

Hehehe... começou o ano com o pé direito. Boa história!

Abraços

quinta20h disse...

Que história sensacional! Você é muito bom, Mauro, muito bom.

Clarice disse...

Nada por acaso, certo? Vai ver o cara tava precisado. Ou como diria esa turma da igreja: foi um anjo que passou em sua vida.
Na pior da hipóteses ela jamias vai esquecer desa viagem, coroada com um ato digamos, de burrice sincera.
Abração e dá-lhe calor.

karin disse...

aiiiii...essa corrida saiu muito cara...mas enfim todos estamos sujeitos a enganos.Muto boa história.Feliz princípio de ano meu amigo.Abraços a todos.

João Gilberto disse...

Me divirto muito com as histórias sobre taxistas. Fiquei encantado com a profissão de taxista depois de assistir Taxi Driver.

Até mais.

Rafael Marçal disse...

Grande Mauro... Grande Cronista, achei vc de novo, me brave.

Não vai se lembrar de mim, mas a uns 4 anos atrás eu lia assiduamente seu blog, até que você publicou o livro e eu me desandei na vida.

Agora te achei, voltei a blogar e é bom saber que vc está muito ativo na literatura,

Abraço amigo, abraço de trincar costelas, hehehehe =P

Rafael Marçal disse...

Por isso a preocupação do taxista... Crônica é isso! Parabéns!

Plinio disse...

Outro dia me enganei também. Pensei ter dado uma nota de 100, mas a caixa da loja disse que era de dois reais.
Abrs.

*LIS disse...

Nossa Mauro!!!
HAHA

E cada coisa...

Anderson disse...

Grande gorjeta que ele recebeu!
Por isso ele deve ter perguntado a ela se o dinheiro não faria falta.
Excelente final de semana pra vc!

Liliu da Cohab disse...

E eu que nunca vi a tal da nota de 100!!! Faça idéia então do salário qeu eu ganhava.

Tudo bom, meu caro? Depois de tanto tempo voltei aqui pra te ler de novo.

Fica com Deus e um bom domingo.

Livingstone Pinto
http://uegablignoic.blogspot.com/

Caroll disse...

Nossa, com uma passageira dessa, eu ia querer ser uma taxista! hahaha
coitada!

crocodilo disse...

Bão, façamos as contas:

Corrida 5 reais
Pago 104 reais
Troco 99 reais
Gorgeta 99 reais (ou 1980% sobre o valor da corrida)

Realmente, não se pode dizer que seja uma senhora muquirana....

Abraço Castro, mas uma crônica adorável.

Paulo

Alexandre RJ disse...

Muito boa Mauro! Começou otimamente bem 2010!!! rs

Anônimo disse...

Mas eu ia atrás desse taxista até o fim do mundo pra pegar meus cenzinho de volta! Ah, ia...

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

eu não costumo ser pão-duro com as gorjetas, mas nunca dei mais de R$5,00