segunda-feira, 29 de junho de 2009

Procura-se uma noiva

O casal discutia na calçada, tanto que pensei duas vezes antes de atender aos acenos da moça. Entre safanões e xingamentos, ela se desvencilhou do companheiro e embarcou no táxi. A princípio, não queria que o cara fosse junto, mas ele insistiu e entrou.
A corrida transcorreu em clima tenso. Os dois eram noivos, estavam com casamento marcado, mas a moça havia flagrado o noivo aos beijos com a ex-namorada. Ele tentava explicar que não era o que ela estava pensando, que não sentia mais nada pela outra. A noiva apenas balançava a cabeça e chorava.
Em determinado momento, o telefone do sujeito tocou. Ele conferiu o número e disse que era a ex. Olhei pelo retrovisor. A moça olhava para o noivo com olhos de quem diz: “Espero que tu não atendas”. Fiquei olhando para ele também, estava claro que, se atendesse aquela ligação, a coisa ia ficar preta.
Mas o rapaz atendeu o telefone. Atendeu até com alguma simpatia, o que irritou ainda mais a noiva. O choro da moça, então, deu lugar a um verdadeiro ataque de nervos. Ela começou a disparar todo o tipo de palavrões em direção ao noivo e ao telefone, para que a mulher do outro lado da linha também escutasse. O clima dentro do táxi ficou insuportável, a ponto de eu começar a procurar um lugar para estacionar.
Quando parei o carro, a moça já agredia o noivo a tapas. Ele tentava se defender como podia e, por incrível que pareça, ainda tentava manter a ligação telefônica. Antes de deixar o táxi, a noiva arrancou a aliança e jogou na cara do rapaz, dando por encerrado o noivado. Ele ficou para trás pagando a corrida e encerrando a ligação. Baita vacilão!
No fim do dia, quando limpava o táxi, achei a aliança entre os tapetes. Agora, preciso, de alguma forma, encontrar a noiva para devolver a jóia. Se algum leitor, porventura, conhecer a garota que acabou o noivado dentro de um táxi, faça o favor de avisar que estou com a aliança dela.

22 comentários:

Anderson disse...

Casamento é uma coisa complicada!
Mas o cara vacilou feio! Muito feio!
Excelente semana, gosto de ler suas estórias.
Abraços!

Anônimo disse...

Que cara cretino, ímbecil!!! Meu amigo eu acho que a moça não vai querer nem saber desta aliança, eu não ia querer... Coitada da moça.BJ

\o/ Meninas Super Sapatosas \o/ disse...

É, algo me diz que ela realmente não vai querer saber da aliança...

Mas talvez o rapaz, no auge de sua esperteza, queira reaproveitar a jóia, pra quem sabe presentear a ex ¬¬

Bjsss!!!

Mari Lopes disse...

Nossa Mauro, cada uma que te acontece...
Bjos e boa semana!

Rosmarino, tempero e destemperos disse...

Primeira vez por aqui. Que blog legal. Parabéns por trazer as crônicas do cotiano. Cuide-se.

Alexandre RJ disse...

Mauro, e você ficou calado, que maldade. Não dizem que os taxistas tem a formula para melhorar o mundo? Bom, esse taxista então ficou quieto optou por mais uma historia. Que confusão!rs. Compra um colete pra ti que qualquer hora vai acabar sobrando!

Gorby disse...

Mais uma grande história, deliro com as histórias que escreves, fantásticas!!

Abraço

Flávia disse...

Acho que você vai ganhar alguns gramas de ouro, hein!

Flávia disse...

Acho que você vai ganhar alguns gramas de ouro, hein!

Anunciação disse...

Hum,acho que ninguém vai aparecer pra resgatar essa jóia.Mas que cara babaca!até pra ser sem vergonha a pessoa tem que ter inteligência.Ou ele tava querendo era isso mesmo?

Plinio disse...

A ligação que ele recebeu foi um sinal para que desistisse do estrupício. Se a cena não tivesse rolado, certamente ele ainda a enrolaria por mais um bom tempo. Pode ser até que casasse. Tem coisas que a gente cansa de ver mas não entende como é que acontece.

karin disse...

Nooossa...que cara de pau.Se fosse eu queria a aliança só pra vender e ganhar alguma grana.O cara deve estar se achando ainda.Abraços e ótima semana....ahhh e cuidado hein!!!

lilith disse...

Sinceramente, acho que ele a procurou mais tarde, deu umas fracas desculpas, ela perdoou, eles voltaram, vão se casar ( geralmente é o que acontece, infelizmente). Então Mauro não venda a aliança ainda, eles vão te procurar.abraços.

Lelê Maria disse...

Pouts! Aconteceu uma coisa super semelhante com uma amiga minha, mas ela me garantiu que não foi no teu táxi, porque no caso em questão quem ficou por último e teve que pagar a corrida foi ela.

Dalva M. Ferreira disse...

Eita! Esse táxi aí está mais prá ambulância na faixa de Gaza...

Herika disse...

Tô com a lilith também acho que moçoila acabou voltando como babaca.

Cada um sabe onde lhe aperta o calo, né.

Beijos!!!

Gabriela disse...

Eu já tinha lido alguma história parecida aqui nesse blog ou estou delirando? heuahe.
Adorei. Cada uma pela qual tu és obrigado a passar, hein!! Eu adoraria presenciar esses barracos, mas os taxistas são um dos poucos legitimados a serem "voyeurs". rs.
Beijãão!

Tititi disse...

Nossa, que situação, hein??
Bjokas!

Anônimo disse...

Que situação! As lamparinas do juízo do moço estavam apagadas...
A propósito, espero que as da noiva (agora ex) continuem acesas e ela não recaia.
Muito boa essa!

Mary disse...

Guarda a aliança dentro da taxi...quem sabe aparece um casal querendo ficar noivo durante a corrida! Abraços

Clarice disse...

Xi! O que vai aparecer de dona desa aliança!
Aquela que eu encontrei atrás do cinzeiro de meu velhíssimo Fiat virou um anel para meu dedo. Espere 6 meses e derreta.
Se o rapaz quiser reatar esse já morto relacionamento, que compre outra!
Abraço.

márcia disse...

Oi Mauro! Aqui é a Márcia (professora de Matemática, lembra?). Continuo acompanhando tuas crônicas, agora daqui de Saõ José dos Campos, São Paulo, mudei com os filhos menores há duas semanas. Assim ficamos mais perto do maridão, que também está pra cá.
Mas olha, depois de ler "Brasileiro é muito safado", li "Procura-se uma noiva", nessa sequencia. Bom, só pude concluir que BRASILEIRO É MUITO SAFADO! Brincadeirinha! Continuo aguardando teu próximo livro; vamos tentar aqui em São Paulo?
Abração! Márcia