quarta-feira, 11 de março de 2009

O complexo de SUV

Não há nada mais perigoso no trânsito de uma cidade que um motorista sexualmente frustrado manejando um SUV. Não tenha dúvidas que, na primeira oportunidade, ele jogará seu SUV em cima de algum incauto colega de avenida. A prática das ruas me mostra que, no fundo, o SUV serve mesmo é pra isso. O recalcado proprietário de um SUV regozija-se ao intimidar, humilhar e até passar por cima de quem ouse, por exemplo, cortar-lhe a frente.
O amigo não sabe o que é um SUV? Desculpe-me a falta de jeito. É que eu estou tão indignado, que acabei colocando a carreta na frente dos bois.
“SUV” é a sigla de Sport Utility Vehicle. Uma categoria de carros que é a atual coqueluche da indústria automobilística. Particularmente populares nos Estados Unidos, estes veículos são desenvolvidos a partir de chassis de caminhonetes, e se caracterizam pela altura e tamanho avantajados. Com o trânsito das grandes cidades cada vez mais neurótico e violento, esse tipo de carro está caindo nas graças de um número cada vez maior de pessoas, em especial aquelas que buscam alguma forma de auto-afirmação.
O supra-sumo da categoria é o modelo Hummer, nascido na guerra do Iraque - um monstro automotivo que é uma mistura de carro com tanque de guerra e custa mais de meio milhão de reais. Para quem quer meter medo, mas não tem tanta bala na agulha, modelos mais “populares” como Cherokees, Pajeros e Pathfinders dão conta do recado.
O proprietário de um SUV dirige como se pertencesse a uma raça superior de motoristas. Muitos deles, aliás, organizam-se em clubes fechados que promovem encontros e expedições a lugares inóspitos como as cordilheiras e a Terra do Fogo, onde mortais proprietários de carros “normais” não ousam chegar.
Um bom exemplo da mentalidade “SUV” é o comercial, que vem sendo veiculado na tevê, do modelo Tucson, da coreana Hyundai. A peça publicitária consiste em entrevistar felizes proprietários do veículo. Na propaganda, a dona de um destes SUVs afirma que gosta do carro por seu tamanho avantajado e pela incrível sensação de “olhar os outros carros de cima”. Outro diz que o carro é forte e lhe passa a impressão de “imponência” (antônimo de impotência?).
Enfim: tá com medinho do trânsito, zero-seis? Pede pra sair ou compra um SUV!
A essas alturas do campeonato, o caro amigo deve estar me achando o pior dos preconceituosos. Pois afirmo que não sou. Como taxista, sou muitas vezes vítima de preconceito e, por isso mesmo, o abomino. Desprezo qualquer tipo de generalização. Antes que a associação dos proprietários de SUVs peça minha cabeça, quero esclarecer que estou usando esse tipo de carro como uma metáfora. Na verdade o complexo de SUV pode se manifestar em qualquer motorista. O taxista dirigindo seu Fiat Siena que aperta um fusquinha, o motorista do Fusca que toca por cima de um motoqueiro, o motoqueiro que fecha um ciclista...e assim por diante.
Quanto à questão da impotência sexual dos proprietários de veículos grandes, não é preciso ser nenhum Freud para fazer este tipo de relação. Certa vez uma garota de programa, enquanto eu a levava no táxi para atender a um cliente em um motel, me disse que é capaz de avaliar o desempenho sexual do seu cliente antes mesmo de vê-lo. Basta olhar o tamanho do seu carro na garagem do motel. Quanto maior o veículo, maior será a dificuldade que ela terá em satisfazê-lo sexualmente. Palavra de uma expert no assunto.
Portanto o que me move a escrever não é o rancor de um proprietário de carro popular (sem nem regulagem da altura do banco), mas a preocupação de um profissional do trânsito, que vive se deparando com lamentáveis e crescentes demonstrações de prepotência por parte de certos motoristas. Comportamento que é alimentado por modelos de veículos cada vez mais potentes e belicosos.
A indignação que referi no começo deste texto, deve-se a uma situação ocorrida hoje, em uma das tantas corridas que fiz. Eu levava um paciente em estado grave para o Hospital de Pronto Socorro, pela rua José Bonifácio, onde só passa um carro por vez, quando tive que parar para esperar que o proprietário de um SUV estacionasse seu carro. Indiferente aos sinais de que eu transportava uma pessoa em estado crítico (faróis acesos, alerta ligado, buzina aberta), o arrogante cidadão não deu passagem ao táxi antes de conseguir (depois de várias tentativas) estacionar seu enorme veículo. Com certeza a lógica do sujeito era a seguinte: pessoas nascem e morrem a todo o momento, já uma vaga que caiba meu SUV, não é todo o dia que se encontra.
Fica, então, o alerta. É preciso ficar atento aos motoristas que dirigem a mais de metro e meio acima do nível do asfalto. Protegidos por películas escuras (todo o SUV que se preze tem vidros escurecidos), os cidadãos que compraram esses carros em busca de “imponência” vão fazer valer o investimento. E a vítima pode ser você.

32 comentários:

Elaine disse...

Ainda estou para encontrar um cidadão proprietário de SUV que dirija decentemente. Aqui na minha cidade também estão se proliferando como praga.

Dogman disse...

É batata, Mauro, homem só compra carro grande pra compensar o pinto pequeno. Eu, por enquanto, estou feliz dirigindo a minha Romiseta.

O Teórico disse...

Eu não ligo tanto para as SUVs, mas as motos, essas me enchem o saco!

Mari Lopes disse...

Nossa Mauro, poderia escrever 500 linhas sobre a minha indignação com o trânsito de Porto Alegre. Como o povo em geral anda mal-educado, não acha?

A gente tenta ser legal, deixar as pessoas passarem na nossa frente, ser educado com os pedestres e ciclistas, ter paciência com os idosos na direção. Mas quando é a gente que precisa de passagem e ninguém te dá ou tenta atravessar a rua com o sinal verde para pedestres e um carro passa e quase te atopela, me sinto engolida por esse egocentristo que quando vejo estou preocupada somente comigo mesma também.

E o Anchieta com aquela linda campanha publicitária do "Pô, valeu hein?" enquanto as mães dos alunos fazem barbaridades com suas SUVs na Nilo Peçanha.

É triste...

Fábio Rodrigo disse...

Isso pra não falar de quando a SUV vem por trás e parece que vai lhe engolir, com o farol de xenon no seu retorvisor, deixando cego...
Frustados sexuais, com certeza...
heehhehe

Raphael disse...

meu Sr escritor equivocado em relação ao texto SUV. Concordo que existem pessimos motoristas de tais veiculos mas assim como também concordo como existem pessimos motoristas de taxis, pois os mesmos por dirigirem todos os dias no transito se acham os donos das rodovias,avenidas e ruas da capital. Alem de ser do conhecimento do píblico que existem "gangues" de taxistas pois ao ocorrer uma infração com um condutor de taxi aparecem ao mesmo tempo uns 15 ou 20 para pressionarem o culpado ou não por tal acidente. E porque não atribuir tal movimento ao sexo também?? é muito fácil julgar um por todos né?!?!
Favor tomar cuidado ao generalizar pois podemos generalizar os condutores de taxi também.
Att,
Raphael HR

Elaine disse...

Teórico, outro veículo que tem complicado minha vida no trânsito, a moto!

Ontem mesmo, dois motociclistas tentavam me ultrapassar ao mesmo tempo, um pela direita e o outro pela esquerda. Incrível.

Nana Atallah disse...

O problema é que lá nos "Statys" as ruas, estradas, asfaltos aguenta e suporta tal transporte locomotivo. As coisas "parecem" organizadas para categoria.
Aqui no Brasil, bem mais do que lá, usar esse tipo de automóvel para se locomover no dia a dia é ridículo. Fica alerta para os demais motoristas, mas para a sociedade em geral, que às vezes acaba não enxergando o absurdo que o capitalismo atrai(até pq se alguém tem culpa por essa obsessão é o próprio sistema)

Dalva M. Ferreira disse...

É... coisas do "progresso". O que será que ainda nos reserva o futuro, gente?!

Rodrigo Saldanha disse...

Excelente BLOG, li TODO ele durante uma aula na faculdade! "Boa" aula, e EXCELENTE BLOG!
Parabéns!

Ulisses Adirt disse...

O pedestre e ciclista aqui agradece o texto.

Carlinha disse...

Querido! Eu tinha um blog chamado Calliantéia, e agora estou de volta à blogosfera em outro endereço, espero sua visitinha por lá. Beijos e saudades!

Felipe Tazzo disse...

Cara, que alento tirar esses minutinhos do trabalho e ler justamente um post sobre a agressividade do SUV e seu condutor guerreiro viking! Hoje mesmo pela manhã eu quase fui enlatado dentro do meu fiestinha por um desses e eu não moro em uma cidade grande.

Eu moro em Campinas e estava à trabalho pelas avenidas de Paulínia, que é uma cidade uns 80 mil habitantes quando ouvi os pneus gordos da caminhonete guincharem contra a sarjeta e a floreira que dividem a avenida onde eu estava estacionado no semáforo.

No que eu olhei para o monstrengo preto, sua condutora já colocava a fruta que comia na boca (sim, dirigia com uma mão só) e retirava o carro de cima do paisagismo urbano, fazendo, ela mesma, cara de paisagem.

Acho que não é apenas uma questão de dirigir poder e de canalizar suas frustações. Acho que o proprietário de um SUV tem consigo a certeza da impunidade.

E, claro, a incerteza de performance pessoal, como você bem notou.

Parabéns pelo trabalho, gosto muito do que vc escreve. Apareça no meu blog.

Abraço

Anunciação disse...

Nada a corrigir.Você foi ao ponto.

Esqueci disse...

Olá, vim conhecer seu blog e convidá-lo a participar do meu
"Esqueci o nome".

Esqueci disse...

Falando nisso, eu lembrei que quando visitei meu tio na Carolina do Norte, notei que este tipo de veículo é o mais utilizado por lá. Parece que eles consomem muita gasolina. Como isso nos EUA é barato, apesar de o mundo sofrer com isso, os proprietários também estão pouco se lixando para o resto do mundo. Mais vale uma sensação de potência e conforto que mais algumas gerações na terra, parecem pensar...

lennon disse...

ah.. eu teria uma caminhonete dessas de boa... mas tenho q pagar meu golzinho 2000 primeiro...

Lisa disse...

Adorei o blog!
Sempre a gostei de papo de taxista,a gente fica por dentro de tudo,rs. Aqui na Europa é muito caro andar de táxi.
Sou um zero a esquerda, quando o negócio é dirigir, mas agora enquanto estiver de carona já sei como matar o tédio. Analisar o tamanho do veículo.

Parabéns!
abs

Leila Silva disse...

Que estupidez, não? E falta de respeito, falta de consideração...um tremendo egoísmo. Eu vivi nos EUA e ficava impressionada (negativamente) com o número desses trambolhos horríveis. Enfim, eu sou mais pedestre que motorista e, se não respeitam o resto, os motorizados, o pedestre que se cuide.
Abraço

Clarice disse...

Mauro, o que tem de motorista (homem e mulher) tratando a rua como a cama...
Normalmente sou educadinha quando dirijo, dou a vez, respeito faixa de pedestre, deixo passar a velhinha, mas não me deixo intimidar por eses babacas e não tenho inveja nenhuma do carros deles, fadados a desaparecerem por conta dessa crise mundial, ou assim que a Terra fornecer menos petróleo.
Se colar um SVU na minha traseira me intimidando, ora! imito o Schumi-acelero e freio-, seguro firme no volante, provoco um acidente e faço pagarem a conta, só pra chatear.
Sem dúvida, o pior motorista desse tipo de carro são adolescentes, homens que conservam complexo de inferioridade logo abaixo da barrigona.
Abraços.

KAKA disse...

gente esquentou mesmo o negócio aqui rsrsrsr!!!posso falar? 1-antes de mais nada sou pedestre e disso quem está num automóvel por vezez esquece qu tb é. 2- o culpado do trânsito alucinado dos cachorros loucos são as empresas, não se confundam, o pobre tem 10 minutos pra entregar um produto sei lá onde senão perde o emprego. 3- sou MOTOCICLISTA, amo, pago meus impostos em dia e digo de passagem muito caro para um veículo de 2 rodas e disso muitos esquecem, não trabalho no trânsito prefiro moto só isso, eu tenho meu lugar no trânsito, pago por um espaço nele, por isso exterminaria alguns taxistas, tb não generalizando caro amigo Mauro, pois tenho respeito pela pessoa que és, mas sinceramente eu ando mais de taxi que de moto e posso garantir, sexta feira paguei a corrida e desci de um taxi no momento que ele simplesmente arrochou um pobre motociclista que vinha de boa na mão dele, o TX não precisava daquela atitude, eu vi, foi por maldade, só que muitos esquecem: o meu para choque é a p... do capacete, é meu corpo, um toque até a 40km/hr posso morrer se for a hora!!! desabafo sabe gente, eu mesmo de moto nunca levei uma multa nunca estacionei errado, nunca avancei um sinal, EDUCAÇÃO acima de tudo precisamos de gentileza pelo amor de Deus!!! ainda acho que a responsabilidade do descaso com o outro é não se colocar no lugar dele, num grande carro num ônibus e etc... abraços Mauro (me perdoe pelo texto)

Anônimo disse...

Primeiramente Bom Dia a todos.
Discordo em parte do Blogger pois a generalização é um problema que enfrentamos quase todos os dias. Assim como poderia ter generalizado a atitude do bastardo que me fechou no acesso a Faixa Reversível da Linha Amarela hoje (estava na faixa correta e o esperto que vinha na segunda faixa me cortou para não enfrentar a fila como todos os outros motoristas)como uma atitude da classe (ele digiria um carro amarelo de aluguel) poderia generalizar o bandido que tentou ajudar o Marcelo Yuca após assalta-lo.
Caros o problema hoje está na educação dos motoristas no trânsito e não no grupo ou tribo os quais pertence.
Um bom dia a todos.

Ane Brasil disse...

Maurão, falou e disse tudo!
E digo mais: a menina lá de programa que falou do tamanho do carro do sujeito também tá certa... razão pela qual, qualquer um que tivesse qualquer coisa maior que um fusquinha ou um corsa simplinho eu não dava a menor bola...
Existe toda uma campanha pregando o uso da bicicleta pra poupar combustível... mas aí eu te pergunto: com que tranqüilidade saio eu com a minha magrelinha com todos esses loucos à solta?
Sorte e saúde pra todos!

dacaff disse...

Uma formiguinha caiu num buraco.. O elefante ouviu algo vindo do buraco e viu a formiguinha. Jogou a tromba para resgatá-la, mas não conseguiu. Então jogou seu pintão e a formiguinha subiu caminhando até a estrada. Certa vez a forguinha voltou a cidade com sua SUV e viu o elefante dentro do mesmo buraco. Quis jogar a bracinho (rs), tentou o pintinho (rsrsrs) e resolveu guinchá-la com sua SUV. Moral: Quem tem SUV, não precisa de pinto grande!!! Há braços...kkkkk

Silvia disse...

Concordo plenamente! Falou e disse!

Nação Gunner disse...

Olá meu amigo
ouvi falar no seu blog no programa
"Pretinho Básico" da atlantida
onde o assunto era esse post
axei muito interesante o asunto então vim aqui dar um oi
e dizer q sou o novo seguidor deste blog
para mais contatos:jonasquick@hotmail.com

Van Lampert disse...

Estou contigo! Eu chamo esse tipo de motorista de HPP (homem de pinto pequeno). O tamanho do carro na maioria das vezes é para compensar o diminuto pingolim. No entanto, para ter a certeza de que se trata desse tipo de indivíduo, como você disse, não basta que ele dirija um SUV, deve-se prestar atenção ao jeito de ele dirigir. Se dirige para provar que é o maior, que é o melhor, etc. As chances de que seja um HPP frustrado por sua vida sexual mal resolvida são de praticamente 100%. Uma mulher que dirija uma SUV como um HPP, certamente ou é casada com um HPP ou tem também sérios recalques sexuais.

PS: Nada contra homens com pênis pequeno, já que está mais do que provado que tamanho não é documento. O problema são os trogloditas que acham que ter pênis pequeno é um problema e ficam eternamente complexados, querendo compensar. Quem tem pênis pequeno e lida bem com isso, sabendo o que fazer com ele, não entra na categoria de HPP.

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

algumas mulheres optam por um suv por acreditar que ficam menos suscetíveis a assaltos, o que é uma grande mentira... a esposa de um executivo da gerdau foi vítima de latrocínio enquanto estava parada fumando um cigarro dentro de um suv... outras compram acreditando estarem num veículo mais seguro por ser mais reforçado, embora alguns não sejam mais seguros que um gol 1.0 (caso do mitsubishi pajero sport, que ainda por cima é um dos que tem a pior estabilidade)...

alguns homens acabam comprando só por causa de uma propaganda mas nunca usam todos os recursos do modelo...

há até quem compre um suv só para se aproveitar da brecha na lei que possibilita alguns desses modelos serem vendidos no brasil com motorização a diesel...




mas não adianta generalizar, tem pessoas que realmente precisam de um veículo mais apto a andar fora de estrada e podem optar pelo conforto de um suv ao invés de um jipe rústico...

eu sou um que gostaria de ter um suv, mas não vejo problema em um veículo menor e mais econômico que já me servisse (off-topic: olha o post que eu fiz sobre os triciclos no meu blog)

Henrique disse...

Esse texto é de lavar a alma. Finalmente alguém fala com lucidez sobre esse assunto.

Essas porcarias deviam ser proibidas. Aliás, em diversos países da Europa - Suíça e Portugal, por exemplo - , já há movimentos nesse sentido. Os SUVs são duplamente causadores de dano ambiental e problemas no trânsito: primeiro, porque ocupam muito espaço e poluem muito. Segundo, porque graças aos idiotas que os usam como armas, inibe a venda de carros menores e menos poluentes. Eu, por exemplo, gosto de modelos como Renault Twingo e Smart Coupé, mas pensaria muitas vezes antes de comprar um carrinho desses porque, numa colisão com um SUV, quem estiver dentro de um desses modelos compactos morre.

Parabéns, Mauro. Deveria haver alguma espécie de movimento para, no mínimo, fazer essas pragas pagarem um IPVA mais alto que o de um carro comum, além de proibir sua circulação em certos locais e horários. Só assim teremos um trânsito mais civilizado.

Anônimo disse...

Eu tinha problemas com os proprietários dos SUVs arrogantes, boçais e todo mais....resolvi da seguinte maneira; troquei meu automóvel (sedan) por uma camionete Dodge 500, calcei-a com rodas 22”, ficou um monstro...é hoje sem dúvida a mais alta, larga e comprida da cidade...combinou com o meu imponente MEMBRO...

Raul disse...

É um problema cultural do brasileiro não se importar com segurança no trânsito. Preferem andar em um 1.0 mal construído do que com um SUV com todos os ítens de segurança. Não dispenso minha VELHA (não sou otário pra compra carro 0KM) Hilux SW4 2001 - com vidros pretos, que protegem contra assaltos.

Como tem muito taxista que forma quadrilha de cooperativa, então não se preocupam com isso, pois já estão protegidos.

Hoje ví um acidente entre uma S-10 e um civic - colisão frontal. Mesmo a S-10 tendo uma contrução de baixa qualidade em relação a outras caminhonetes e a ainda sem itens de segurança, ficou quase inteira, enquanto o Civic ficou totalmente moído, inclusive o motorista. (FOI O MALUCO DO CIVIC que invadiu a pista anterior, já que caminhonetes e SUV geralmente andam MUITO menos do que os sedans e os motoristas geralmente são mais velhos e responsáveis. Minha SW4 mesmo anda igual carro 1.4 e não me importo com isso. Complexados compram esportivos, geralmente de cores chamativas, como amarelo e vermelho.)

Duas pragas que se acham donos do trânsito e dirigem MUITO mal são taxistas e motoristas de van.

Prefiro andar tranquilo de SUV com todo mundo achando que tenho complexo, do que correr perigo de vida em um lixo que não pode nem ser chamado de carro.

E quanto aos pseudo-intelectuais eco-capitalistas da modinha, um SUV à diesel é muito mais ecológico que essas porcarias Flex, que consomem muito mais combustível que um carro somente à gasolina. Minha velha SW4 faz 12 km/l no diesel, enquanto um uno faz 14 km/l na gasolina e 9 no alcool. Uma SW4 nova faz 14 km/l no diesel. Novas caminhonetes à diesel da Land Rover estão fazendo 17 km/l. Quanto ao tamanho, um SUV como minha SW4 tem o mesmo comprimento e largura de um sedã médio. É apenas mais alta.

Puro preconceito de um taxistas frustrado que não tem capacidade de encontrar um emprego decente. Dirigir e ficar de papo o dia inteiro, qualquer um faz.

Hidra de Lerna disse...

E o lamentável caso de Kátia Vargas que matou dois irmãos em Salvador?

http://atv.atarde.uol.com.br/video.jsf?v=10301

Ela dirigia uma SUV e jogou o carro em cima deles num claro gesto de arrogância.